Página inicial
Pesquisa avançada
Fechar
Filmes
Título português
Título original
Ator
Diretor
Gênero
País
Em vídeo desde
Mês

Ano
Categorias
Tema
Produtos
Descrição
Autor(a) / Interprete
Seção
Ano
Conteudo adulto
login grátis
Clique aqui e acesse o site Clique aqui e cadastre-se nesta loja
Usuário Cadastrado
Fechar
E-mail
Senha
Você está em: Início - Notícias de games - Criador de Cyberpunk 2020 defende Cyberpunk 2077 após críticas na E3

Criador de Cyberpunk 2020 defende Cyberpunk 2077 após críticas na E3
Cyberpunk 2077 foi um dos títulos mais comentados durante a E3 2019 e, obviamente, isso acabaria atraindo pessoas que procurariam defeitos no game antes de ver o produto completo. Foi o caso de um site que levantou polêmicas em que basicamente acusava o jogo de racismo e de não saber lidar com transgêneros. Agora, o criador de Cyberpunk 2020, livro de RPG que serviu como base para o novo game, resolveu comentar e defender a adaptação.

O site Rock, Paper, Shotgun apresentou uma matéria em que o autor se sentia desconfortável por causa de um pôster que tinha uma piada com transgênero e o fato de o gameplay mostrado na E3 colocava o jogador contra uma gangue com vários personagens negros que se chamavam de animais, algo que ele parece não ter entendido porque a gangue tinha membros brancos e o nome do grupo é Animals.

A reclamação acabou reverberando pela internet, com muitos acusando o site de sensacionalismo e afirmando que suas reclamações eram vazias e feitas apenas para chamar atenção, algo que surtiu efeito, já que Mike Pondsmith, criador de Cyberpunk 2020 e consultor no game da CD Projekt RED se pronunciou sobre o assunto.

"Sobre a polêmica dos Animals, o ponto principal do porque eles se chama assim é porque eles mesmos se consideram poderosos e perigosos animais selvagens. Você encontra uma mulher chamada Sasquatch e só isso já deveria deixar claro isso", disse Pondsmith.

Ele também aprovou algumas mudanças que a CD Projekt RED fez para a gangue Voodoo Boys, descrevendo que a versão de Cyberpunk 2020 era um comentário sobre apropriação cultural. Isso porque, apesar de lidar com a cultura voodoo, a gangue era composta basicamente por garotos brancos, algo que não acontece em 2077.

"Eu ADOREI a ideia que os verdadeiros praticantes de Voodoo voltaram e retomaram seu lugar. E eles até acertaram a língua creola no jogo. Quem diabos você pensa que é para falar para MIM se a minha criação foi feita do jeito certo ou errado?", completou o criador de Cyberpunk 2020.

Fonte da notícia: https://www.voxel.com.br/noticias/criador-cyberpunk-2020-defende-cyberpunk-2077-criticas-e3_844393.htm
Data da matéria : 24/06/2019
Compartilhe:
Copyright © 2019 PodiumWeb ® está licenciado para Lyons Locadora.
Hospedagem e-Cliente ®.